quinta-feira, 3 de abril de 2008

Quase sem querer.............

Tenho andado dis...traído Impaciente e inde...ciso E ainda estou confuso Só que agora é diferente Estou tão tranquilo E tão contente Quantas chances Desper...di...cei Quando o que eu mais queria Era provar pra todo o mundo Que eu não precisava Provar nada p'ra ninguém Me fiz em mil pedaços P'ra você juntar E queria sempre achar Explicação p'ro que eu sentia Como um anjo caído Fiz questão de esquecer Que mentir p'ra si mesmo É sempre a pior mentira Mas não sou mais Tão crian...ça a ponto de saber tudo Já não me preocupo Se eu não sei porquê Às vezes o que eu vejo Quase ninguém vê E eu sei que você sabe Quase sem querer Que eu vejo o mesmo que você Tão correto e tão bonito O infinito é realmente Um dos deuses mais lindos Sei que às vezes uso Palavras repetidas Mas quais são as palavras Que nunca são ditas? Me disseram que vo...cê Estava chorando E foi então que percebi Como lhe quero tanto Já não me preocupo Se eu não sei porquê Às vezes o que eu vejo Quase ninguém vê E eu sei que você sabe Quase sem querer Que eu quero o mesmo que você. ("Quase sem querer" - Renato Russo, Dado Villa Lobos e Negrete)
Felizmente para a minha vida, neste momento acabei de ler o livro "O Cavaleiro Preso na Armadura" (Robert Fisher). Ele me fez perceber novamente q eu não preciso ter tanto medo. Do futuro, das coisas, da falha. Q eu não preciso provar nada a ninguém, e q para eu amar aos outros, preciso me amar primeiro. Sem cobranças excessivas. Viver, eu preciso viver e não simplesmente executar as coisas e me encher de tarefas intermináveis pra suprir o enorme vazio por não estar seguindo e dando um mínimo de atenção para os meus sentimentos. Por mais q eu tenha chorado e tenha lido a última página do livro 25 vezes mais ou menos, me sinto feliz. Bem melhor do q eu tenho me sentido nos últimos quatro dias. Com um desejo estranho d presenciar o desconhecido. Quase sem querer, como diz a música, eu estou me reconhecendo nesse momento. Chega de rascunhos meticulosos, chega de perfeccionismo tão exagerado........ por q não dar espaço para o imprevisto?? E perceber q ele pode gerar algo mto mais interessante?? É tão bom não sentir medo. É realmente tão bom, e algo tão novo pra mim, q tenho vontade de chorar novamente. Só q, dessa vez, com um sorriso tranquilo no rosto!!
Me sinto grata por me sentir realmente viva novamente.
"Quase morri pelas lágrimas q deixei de chorar." "Ele sorriu através das lágrimas, sem perceber q uma nova e radiante luz emanava dele - uma luz muito mais brilhante e bonita do que sua armadura com o melhor dos polimentos: borbulhante como um riacho, brilhante como a lua, deslumbrante como o sol. Pois, de fato, o cavaleiro era o riacho. Ele era a lua. Ele era o sol. Ele podia ser todas as coisas de uma vez agora, e muito mais, porque ele era um com o universo. Ele era amor.
O começo."
(trechos de "O Cavaleiro preso na armadura" - Robert Fisher)

Um comentário:

A. Noir disse...

"eu trabalho com o máximo de imprevisto possível". XD nhauhauheee...

é isso aí, Ervilha, grande Ervilha, poderosa Ervilha, amiga Ervilha. capacidade de enfrentar e não ausência de medo...(mais pensando pra mim que dizendo pra vc, ^^).